sobre não fazer nada

topo_queridinhos

Quando foi que deixamos de acreditar?
Acreditar em dias melhores, em sonhos, amores da vida, guinadas necessárias, mudanças de planos?

Pare e pense sobre a última vez que você foi otimista quando uma amiga te contou uma história de início de relacionamento?
Ou quando alguém te falou ser possível unir trabalho, felicidade e remuneração?

A verdade é que o mundo deixou de acreditar e nós fazemos o mundo!
Perdemos a capacidade de sonhar.

Nos acomodamos em sonhos que não são nossos ou em vidas que não queremos.
Eu me considero um poço de otimismo, mas até eu escorrego.

Já escrevi sobre acreditar no blog (leia aqui e aqui).
A verdade é que temos que resgatar o sentimento mais puro que existe em nós: que é acreditar por acreditar.

E isso é uma luta diária, pois a humanidade é feita de procrastinadores. Todos nós somos.

O dicionário descreve o verbo procrastinar como: ato de deixar para outro dia; adiar, prolongar.
A diferença é que alguns de nós se entregam mais livremente a esse ato e outros lutam contra. Mas em algum momento, todos nós iremos procrastinar para fazer a dissertação, para tomar banho depois da academia, para começar a dieta, para terminar um relacionamento, para largar um emprego que nos deixa infeliz e para tantas milhões de coisas que fazem parte da vida.

O ato de procrastinar está diretamente ligado ao fato de que na maioria das vezes são ações que nos tiram de uma bolha da zona de conforto. E isso é difícil demais. Conscientemente optar por fazer alguma coisa que não queremos exige admitir que estamos agindo errado. E ninguém gosta de reconhecer pequenos ou grandes erros.

Quero que este post sirva com um tapa de realidade. Pare e pense: você está vivendo a vida sentindo as coisas?

Author Description

Posts recentes

Sem respostas para “sobre não fazer nada”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos exigidos estão marcados com *


*