seja sincera sempre

topo_queridinhos

A impressão que eu tenho do mundo desde pequenininha é que as pessoas acham que você só é feliz se está apaixonada, amando ou de namorado novo. Perdi as contas de quantas vezes perguntaram se eu estava de namorado novo só porque estava com um bom humor excessivo. Se estava bem vestida, diziam que certamente me arrumei para sair com algum homem ou se emagreci era porque queria impressionar alguém. Também têm aqueles que perguntam se meu namorado aprova as minhas 20 tatuagens. É como se nossa vida se resumisse a isso.

Ser mulher na nossa sociedade é conviver desde sempre com essas “verdades”. É quase uma obrigação estar em um relacionamento amoroso. Não adianta ter um emprego foda e amigos incríveis, se você não tem namorado ou planeja uma família, tá lascada.

Ainda é esperado da mulher que ela queira ser mãe e que ela seja uma supermãe e dona de casa. Se essas expectativas não condizem com as suas, a resposta é quase automática: “ah, mas você fala isso agora. Tudo vai mudar quando você conhecer o homem da sua vida.”

Na minha opinião, isso cria pessoas que não sabem bem quais são as suas reais vontades. É difícil acreditar, mas ainda hoje vivemos em uma sociedade em que se busca aprovação dos outros para tudo. Não há mal nenhum em ser sincera sobre querer namorar ou não, sobre querer ter filhos ou não e sobre ter ou não vontade de casar. Neste momento, por exemplo, eu estou satisfeita em estar solteira. Nos últimos anos, já mudei de ideia algumas vezes sobre ter filhos. Hoje eu quero. Porém, quero por mim. Não por qualquer homem. Temos que reconhecer esses momentos na vida. E respeitar.

O primeiro passo oficial de qualquer relacionamento é o namoro. Namorar não pode ser corriqueiro e definitivamente não deve ser com qualquer um. Eu não namoro pensando em terminar. Namoro é um compromisso sério, até porque para decidir namorar, tem que valer a pena. Querendo ou não a gente abre mão de certas coisas, mas ao mesmo tempo namorar alguém que valha a pena é de certa forma não sentir que tá abrindo mão. Faz sentido?

Não devemos ter medo de se entregar. Mas também não devemos ter medo de admitir que erramos ao se entregar cedo demais. Acontece de sermos sugados no momento de empolgação. Às vezes estamos carentes ou simplesmente queremos lembrar como é gostar de alguém. E aí você pode acabar se precipitando.

Recentemente, vivi uma experiência assim e não me arrependo. Mas ao mesmo tempo, eu não estava pronta para namorar e acabei magoando uma pessoa. Eu não estava apaixonada e sabia que não me apaixonaria, mas deixei o namoro rolar por umas três semanas correspondendo as expectativas da outra pessoa. Quando admiti que não estava sendo honesta com os meus sentimentos, decidi terminar.

Eu acho que a pessoa que tá saindo com você tem que ser informado da sua expectativa. Se você não quer namorar, seja sincero. Esquecemos às vezes da tal sinceridade. A gente acha que esconder certas coisas é melhor, assim a gente não machuca ninguém. Na verdade, é só postergar um sofrimento.

Temos que lembrar antes de tudo que o nosso compromisso maior é com nós mesmas. Não entre numa relação para satisfazer o outro ou não continue numa relação por medo de fazer a outra pessoa sofrer. Reflita sempre se você está feliz e satisfeita.

Ainda na parceria Love Mojitos e Editora Guarda-Chuva, vou compartilhar mais uma impressão do livro “Manual da mulher solteira – um guia para amar e curtir sozinha ou acompanhada”. A autora Elizabeth Koosed coloca a seguinte reflexão:

“Desde o primeiro encontro é importante abrir o coração de maneira clara e confiante. Seja direta com o seu parceiro sobre o que você deseja, sem pressioná-lo para que mude e se transforme na sua versão de príncipe encantado. Coloque as cartas na mesa e diga a ele o que você tem para oferecer, depois deixe que ele apresente sua contraproposta. Se você achar que a oferta dele não corresponde à sua, então talvez seja melhor não levar o relacionamento adiante”.

Com esse título, você logo pensa que é um livro de auto ajuda, cheio de clichês sobre o que fazer, o que vestir, como se portar. Mas uma das premissas máximas da vida é: não julgue o livro pela capa (ou pelo título). O livro é na verdade um aprendizado sobre sentimentos e expectativas que toda mulher sente estando solteira ou no início de uma relação. O mais legal, porém, é que ele é zero clichê. Tipo, a autora é uma mulher que poderia ser sua amiga, sabe? Essa conversa poderia estar acontecendo numa mesa de bar.

Minha dica é: se jogue mais, sem pensar nas redes de proteção. A vida é feita de escolhas e riscos. O barato de viver está nisso. Quando achar que errou, volte atrás. Sem medo e arrependimentos também. Não se culpe por tentar. E mantenha o melhor relacionamento de todos sempre com você mesma.

Author Description

Uma resposta to “seja sincera sempre”

  1. 14 de outubro de 2015

    Ely Responder

    Vc está certa, acredito que falte no mundo um pouco mais de sinceridade e outra coisa que me incomoda profundamente e como vc mesmo disse, as convenções de como devemos agir, isso me incomoda bastante. Quero te dar os parabéns pela sua atitude, ele pode até ter ficado magoado agora, mas com certeza depois que passar a mágoa verá que ele acabou sendo preservado de viver ou passar por uma situação que não o agradaria… Nao deixe de postar no snap….

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos exigidos estão marcados com *


*