Resenha pós GirlBoss: livro e série

A essa altura, imagino que a maioria de vocês aqui já tenha assistido a série GirlBoss do Netflix, right? Vou escrever hoje um pouco sobre a série e sobre o livro que terminei de ler esses dias.

A séria conta a trajetória de Sophia Amoruso, a criadora da Nasty Gal, comércio de roupas que surgiu como uma conta no e-Bay, virou loja online e chegou a ter dois espaços físicas em pontos disputados de Los Angeles. Tudo isso em apenas sete anos. Sim, ela é um sucesso. Não dá para negar!

Girlboss, da Netflix, é um pouco boba. Pobre, na verdade. Superficial na maior parte das vezes, já que o livro se aprofunda muito mais em algumas fases da vida da Sophia. Os episódios são curtinhos, não passam de 30 minutos, e acho que deixam a desejar.

Tanto na série, quanto no livro, a Sophia me parece uma pessoa insuportável. Mimada, egoísta, apesar de visionária e empreendedora. Acho que a série distorce alguns fatos e entra pouco em outros. Como a questão dela roubar coisas antes de se tornar esse hit todo.

Com a atriz Britt Robertson no papel da protagonista, “Girlboss” da Netflix, pode parecer 1970 para os desavisados, mas tudo começa em 2006. Sophia está em San Francisco pulando de emprego em emprego até descobrir começar a loja on-line.

Em 2016, a Nasty Gal pediu falência após diversos processos na justiça e desistência de investidores. Ainda assim, quando o livro foi escrito, em 2014, Sophia estava no seu auge. Merecido, na minha opinião, pois ela batalhou muito.

Vale a pena ver e ler o livro.

Author Description

Sem respostas para “Resenha pós GirlBoss: livro e série”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos exigidos estão marcados com *


*