reflexões

Gente, hoje a dica é impactante. Estou abalada até agora.
Quero escrever muito sobre isso mais vezes, ler e conversar com o maior número de pessoas que puder. Nada do que eu disser hoje aqui é novidade pra ninguém, mas quanto mais nos informamos, mais dá vontade de mudar, né?

Assisti aos documentários Cowspiracy – sustentability is the secret e Food Choices, ambos disponíveis na Netflix.
Sei que muitos já devem ter visto e talvez passado (ou não) pelo menos processo que estou passando agora, mas ainda estou em choque com os dados passados, as entrevistas feitas, a realidade em que vivemos hoje. A vontade é de mudar meu estilo de vida e alimentação hoje da água pro vinho.

Sim, Cowspiracy é bastante sensacionalista. Acho que a maioria dos filmes sobre esses temas precisam ser assim para impactar as pessoas. Sempre fui contra extremismos. A verdade é que nunca consegui me convencer suficientemente que precisava comer mais saudável para ser mais feliz. Sempre pensava que ser feliz era exatamente me permitir.  Era dar ao meu corpo o que eu desejava. No entanto, finalmente percebi que estou sendo egoísta.

 

Quando se pensa em colocar um filho no mundo, acho que a gente começa a olhar certas coisas de uma outra ótica. Não sei até que ponto conseguiria ser vegetariana por completo, vegana ou ter uma alimentação só baseada em proteína vegetal, mas quero muito tentar. MUITO mesmo.

Sempre desejei isso, mas não conseguia nem pensar em começar ou levar adiante, mas dessa vez estou curiosa, estou animada e quero me desafiar. Não tô dizendo aqui que será de hoje pra amanhã. Sei que é um processo gradual e deve ser assim para acostumar meu corpo.

Sim, pois é um desafio. Um desafio primeiramente comigo mesma e todos os meus antigos hábitos. Um desafio dizer não para todas as outras coisas que antes eram sim, pra uma rotina com ovos, pão e leite de manhã, para almoços sempre com carne e jantares às vezes com pizza, etc.

Um desafio constante de onde comer, o que comprar, como não desagradar os outros. E também um desafio para enfrentar um mundo preconceituoso que não quer ser doutrinado, mas que a todo momento faz questão de nos doutrinar com escolhas que nem sempre são nossas. Um mundo que julga toda e qualquer escolha.

Sim, estou fazendo pelos bichos, pelo meu corpo e principalmente pela minha filha que vai nascer. Quero que ela tenha um exemplo melhor em casa, de mãe que come bem, que alimenta o corpo acima de tudo. A comida deve ser sim muito prazerosa, mas tem que ser rica em nutrientes e completa.

Meu objetivo não é doutrinar os outros sobre uma escolha que um dia pode ser a minha integral. Meu objetivo é cuidar de mim. Todo mundo tem direito de comer o que quiser, onde quiser, sem interferências. TODO MUNDO. Ou seja, respeite as escolhas dos outros. Sempre!

Quero tentar trazer nesse espaço do blog pessoas que comam bem, que sejam veganos ou plant based, que possam explicar aqui e falar mais sobre isso.

Quero começar agora um processo que quem sabe teria que começar na amamentação da Sofia. Li que as mães têm que cortar muitas comidas que dão gases no bebê, refluxo e que os deixam agitados. Entre elas: carne vermelha, leite, derivados, entre outros. Por que não começar aos poucos? Agora? Para ver como vou me acostumando?

Claro, gente, que não sou LOUCA. Tenho acompanhamento médico e nutricional e farei tudo como eles acharem melhor e mais saudável pra mim e pra Sofia. Não se preocupem.

 

Author Description

Sem respostas para “reflexões”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos exigidos estão marcados com *


*