quem é tinder

Se você é desse mundo certamente já ouviu falar dos aplicativos de relacionamento, né? Muita gente torce o nariz. Diz que é perda de tempo. Adjetivos ruins têm aos montes para descrever essa ferramenta, que no fundo no fundo não deixa de ser um grande facilitador de encontros. Bons e ruins, como tudo na vida.

O Tinder, um dos mais famosos, é uma experiência antropológica. Poderia dizer que é uma experiência que todos deveriam vivenciar, mas sinceramente não acho que vale a pena. É para quem tem paciência.

Conheço mais de um casal fruto do Tinder que casou! É uma propaganda e tanto de esperança. Aquelas histórias de filme difíceis de acreditar, mas que todo mundo se agarra na esperança de ser aquele 1% sortudo. A realidade é sempre mais dura.

Procurar alguém bacana no Tinder é tipo garimpar em loja de fast fashion. Se procurar bem, você acha pelo menos alguém que valha a pena trocar uma ideia por mais de 5 minutos. Não garanto casamento e filhos, mas uma trepadinha saudável e boas risadas rola. Até para transar (que alguns dizem que é o maior objetivo do aplicativo), é preciso ter o mínimo de empatia, né? Já dei aqui a dica do álcool no primeiro encontro. Essencial para esses casos do Tinder.

Eu acho que o mais importante do Tinder é chegar de fininho, sem grandes expectativas. Como tudo na vida, o importante é conseguir se surpreender positivamente.
Não vá com uma ideia fixa. Se permita experimentar.

Quando fiquei solteira em novembro de 2014, tinha certeza que meu ex-namorado logo logo estaria no Tinder. Não deu outra! Sendo assim, preferi dar um tempo antes de me aventurar. Uns 5 meses depois, eu entrei pela primeira vez, após uma noite das garotas regada a muito vinho.

Fui dando match (para quem não sabe como funciona é tipo mercado virtual. Você vai passando as fotos e dando like. Se o cara tiver te dado like também, vocês formam um match e podem se falar no chat privado). Sem muito critério, pois tinha bebido bastante.

Aí sim valeria a pena!
Aí sim valeria a pena!

Muita gente critica. Diz que Tinder é beirar o desespero. Eu discordo. Acho que é só mais uma maneira de conhecer pessoas. Como numa festa, mas virtual! Se você gostar desse tipo de funcionalidade, vai fundo. Te proporciona encontros que talvez na vida “real” fossem mais improváveis.

Lá dentro você vê de tudo: ex namorado, exs pequetes, colegas de trabalho, colegas de trabalho comprometidos, pessoas sem foto, fotos somente do abdômen, fotos com gatos, cachorros. Fotos com a mãe, fotos com mulheres, fotos feias e bonitas. É uma diversão para aquelas horas de tédio no consultório médico ou esperando a amiga para sair. 

E quando queremos dar like naquele conhecido do ex? Pior que as escolhas de Sofia. =SSS

micareta_digital_tinder1

Essa parte é até divertida. Parece uma gincana. É tão legal quando você dá match com alguém que você achou bonitinho. Mas fica aqui minha dica: rapazes, melhorem! Foto de comida e paisagem? Não. Queremos ver rosto, assim como vocês. Ainda rola aquele preconceito básico do tipo: colocou foto de bebê ou de comida é porque é feio hoje em dia. Podem julgar, mas esse pensamento rola. Afinal, estamos falando de um aplicativo que é basicamente a primeira impressão.

Você tem UMA chance para impressionar e essa chance se baseia nas suas fotos. Sem mais!
Outra crítica pertinente é: já repararam que às vezes uma pessoa tá linda na primeira foto, você vai passando e parece que não é mais ela? Já aconteceu com vocês?

Tenho amigos que dizem que quando viajamos podemos ser menos criteriosos.
O mais cruel é quando você dá match com alguém que tá de passagem e a pessoa só responde a mensagem dias depois. Ai ai ai.

Podíamos ficar aqui o dia todo enumerando as coisas que acontecem. Dá história para um livro!

Por incrível que pareça, tudo pode piorar quando deveria melhorar: na hora do bate papo. Poucas pessoas sabem conversar. E isso é assustador. Na verdade, a questão aqui não é nem saber conversar, é saber se relacionar. O problema do fast qualquer coisa é esse: quando temos uma grande quantidade de pessoas juntas são grandes as chances de encontrarmos coisas que não gostamos. E aí vem o exercício da paciência e tolerância.

O grande erro na maioria dos casos é trocar whatsapp. Mesmo sem intimidade, a gente dá aquela forçada, né? Afinal, o chat do Tinder trava toda hora!
Você sai de um terreno obscuro e leva a pessoa para sua realidade.

No whatsapp, eles se soltam! Um dos meninos com quem conversei tinha pavor de gorda. Então, ele ficava perguntando o que eu comia, como tinha emagrecido, se fazia exercício e ao mesmo tempo me mandava foto das comidas dele: só pizza! Deixei morrer e nunca mais falei. Quase um ano depois, o maluco me mandou um oi no whatsapp. Chuta que é macumba. Só pode!

cara que nós fazemos com aquelas malas do tinder
cara que nós fazemos com aquelas malas do tinder

Tem uns que acham que vocês já são namorados. Mandam bom dia, boa noite, boa tarde. Sim, tem mulher que gosta.
Teve um que me mandou uma mensagem assim: você não vai se livrar tão fácil de mim. =OOOO stalker alert!!!

Era para ser legal? Porque, então, não entendi =S É muita intensidade para duas pessoas que nem se conhecem.
O problema desses caras é que temos que nos justificar para pessoas que nem conhecemos. Você nunca saiu com a pessoa e já tem que ter uma semi DR para explicar porque não quer mais falar.

A internet e seus mil aplicativos podem sim servir como um facilitador, mas a real química está no encontro pessoalmente, a dois.
E o Tinder é bom pra te proporcionar isso: as borboletas no estômago de sair com alguém pela 1 vez. Mesmo que de forma não tão convencional. Rola muito aqueles silêncios constrangedores de quem se conhece há meia hora. 

Apesar de achar que posso dar uns bons matches no Tinder, meu match preferido continua sendo esse aí da foto, uma boa taça de vinho. Quem sabe bem acompanhada?

 

Author Description

3 Respostas to “quem é tinder”

  1. 11 de maio de 2016

    Juliana Responder

    Pode chamar o namorado do lado e fazer um perfil de brinks? Nunca usei, mas depois desse post fiquei curiosíssima!

  2. 8 de junho de 2016

    Julia Farias Responder

    Excelentes dicas, muitíssimo obrigada

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos exigidos estão marcados com *


*