o recomeço do recomeço

o processo de emagrecimento é dividido em etapas. Tem a primeira etapa (e uma das mais difíceis) que precisamos sair da inércia e perder os primeiros quilos. Todo mundo que já passou por isso sabe como é difícil mudar hábitos, desconstruir a preguiça e a reorganizar a rotina.

Mas aí começam as recompensas: os quilos perdidos, hábitos mais saudáveis, fotos da evolução, mais e mais kms corridos e por aí vai. Durante este processo de perda de peso (seja lá quantos quilos você pretende perder), muitas vezes dá vontade de desistir.

Na minha opinião, a fase mais complicada é o começo. Depois, mesmo com deslizes, já sabemos como recomeçar, que não é um bicho de sete cabeças. No entanto, depois que perdemos todos os quilos desejados (no meu caso foram 20kg), chega a fase da manutenção.

Ah, você achou que acabou? Que nada!

academia

A manutenção é tão essencial quanto o resto do processo.

Nessa etapa, ganhei um aliado: a consciência pelas minhas escolhas. Comigo funciona assim: se eu como muito um dia, no outro eu dou uma maneirada; se saio mais da dieta fim de semana, durante a semana seguro a onda ou se eu sei que vou jantar fora, como menos no almoço.

Só que nem tudo é assim tão lindo e fácil assim. A vida continua e algumas vezes é difícil manter o foco e o resultado atingido. Por algum motivo, a nova rotina já não consegue ser mantida com tanta disciplina, a alimentação torna-se mais desequilibrada, a dieta fica chata e desinteressante e as faltas na academia ficam recorrentes.

Em novembro vai fazer 1 ano que comecei a emagrecer. Durante esses quase 365 dias, eu não tive um período longo de desânimo, mas confesso que já escorreguei mil vezes da dieta e abusei também. Apesar de me considerar relativamente disciplinada, não sou de ferro. Também sinto preguiça, o calor também não me dá vontade de ir para academia ou correr no parque, eu também jaco várias vezes e também me culpo.

Essa semana mesmo fiquei uns 3 dias sem malhar. A gente inventa desculpas, né? Umas mais verdadeiras que as outras. Aí me permiti comer errado durante a semana, besteira no jantar…

Parei e vi que não queria que isso virasse rotina. Aí na quarta mesmo, voltei a malhar e revi a dieta no nutricionista. Por exemplo, voltei a tomar meu suco verde todos os dias. Tinha abandonado o hábito diário, mas ele me faz tão bem.

image_1

Li essa semana um post no blog Frango com Batata Doce sobre isso e resolvi compartilhar um pedaço:

“Engana-se quem pensa que o processo de conquistar novos hábitos, emagrecer e ter mais saúde é linear, com início, meio e final feliz. Na verdade trata-se de um caminho cheio de altos e baixos, conquistas e tropeços e que requer muita paciência. Deslizes da dieta e faltas na academia são comuns e fazem parte de todo o processo. “

Eu era muito rígida comigo no início e acho que depois que perdi os 20 quilos, me permiti muito mais. Não que isso seja ruim, entende? Só não podemos fazer com que isso se torne uma rotina. Deslizes pontuais e dias de preguiça rolam sim, mas quando isso vira rotina que devemos nos preocupar.

Lembra do equilíbrio que eu sempre falo? Pois é. 

 

 

Author Description

Posts recentes

5 Respostas to “o recomeço do recomeço”

  1. 16 de outubro de 2014

    Juliana Lisboa Responder

    Poxa, Paulinha, já eu acho que a manutenção, e não o início, é o passo mais difícil. Porque aí é que vem à tona a questão de mudança de hábitos, que deve ser uma coisa que deve ser levada para a vida. Eu sempre encarei a dieta como uma ‘fase’: faço a dieta por um determinado tempo, perco o peso que eu quero e depois ‘volto ao normal’. Só que não é assim: voltando ao normal a gente volta a engordar, e não faz sentido ficar fazendo essas dietas se você não assimila hábitos mais saudáveis. Eu sofro muito com a manutenção, com a escolha de alimentos, com a prática regular de exercícios – ainda que, como você, me permita alguns deslizes de vez em quando. 🙂

  2. 17 de outubro de 2014

    Bárbara Responder

    Concordo com você que começo é muito difícil. Estou nessa fase! Há dias em que me pergunto se tudo o que estou fazendo está valendo a pena, dias que não enxergo resultado nenhum, que a balança não ajuda, que a dieta cansa e enjoa. Comecei a reeducação e os exercícios a 2 meses e posso dizer com certeza que só agora é que realmente estou levando a sério. Escorrego sim, mas me recupero e recomeço e sei que muitos deslizes ainda virão e que terei que ser forte e ter foco para superar! Seus resultados foram incríveis e é bom saber que quem nos inspira também é gente como a gente, tem altos e baixos e o mais importante, reconhece e vira o jogo. Dá ainda mais forças pra continuar nessa caminhada 😉

    • 20 de outubro de 2014

      paula filizola Responder

      Oi, Barbara. Obrigada pelo elogio! Fico MUITO feliz de poder ajudar as pessoas.
      Eu sou super gente como todo mundo. Escorrego na dieta, mas aí volto com tudo e mantenho a linha sempre que possível. Isso faz parte, né? O importante é que você começou e tem consciência das dificuldades. Isso ajuda muito.
      Você tem feito exercício? Sempre que possível, estou à disposição no Instagram, ok?

  3. 20 de outubro de 2014

    Bárbara Responder

    Paula, obrigadíssimo pela atenção!
    Ainda não me achei nos exercícios físicos, vou à academia ao menos 4x por semana, faço musculação e algum aeróbico. Estou experimentando, agora, aulas de bike indoor e jump e tenho me sentido mais à vontade com elas. Estou buscando também um profissional especializado em treino funcional, que é onde espero me encontrar melhor.

    • 20 de outubro de 2014

      paula filizola Responder

      treino funcional é uma ótima. gasta bastante caloria. Caso queira perder peso, recomendo aerobico umas 4x por semana, de 40 minutos a uma hora.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos exigidos estão marcados com *


*