não é preguiça

topo_fitness

 

Bom diaaa!

A foto principal do post diz: “seja bom para você”

Quinta tem sido de posts de desabafos aqui, né? É bom dividir o que estamos sentindo. Primeiro porque percebemos que não estamos sozinhos – outras pessoas podem estar passando pela mesma coisa – e segundo porque é uma forma de incentivar os outros. Compartilhe angústias e sabedorias.

Eu tenho feito treinos mais longos de corrida. Priorizando a distância percorrida e menos a performance. Ou seja, mais kms com um pace médio um pouco mais confortável.
Já estive na fase (recente) de perseguir melhores tempos. 10 km em 50 mins, 5 km em 24 mins e por aí vai. Mas agora tô na fase das longas distâncias.

Meu corpo é resistente. Isso eu já sei. Treino muito, mas a dica de hoje é valiosa: saiba a hora de descansar.
Quem me acompanha nas redes sociais (instagram e snapchat) ou me conhece pessoalmente sabe que eu sou incrivelmente teimosa. Sou capaz (e atualmente faço isso) de treinar todos os dias. Se deixar mais de uma vez por dia. Até aí tudo bem. Faço treinos de preventivo, fortalecimento, alongamento, aulas, cardio, futebol, corrida. Ou seja, tem opções para treinar diferentes partes do corpo e diferentes estímulos diariamente.

Mas têm dias que seu corpo está cansado. Não tô falando do cansaço mental. Para esse, exercício físico é maravilhoso. Ajuda a relaxar, dormir melhor, pensar em outras coisas. O cansaço que eu tenho raríssimas vezes é o físico. Aquele de esgotamento.

Apesar da teimosia, ele acontece vez ou outra e aí eu preciso aprender a me permitir sentir o cansaço.
O corpo fala. Vocês sabiam, né? Quando algo nos incomoda, ele adoece. Quando estamos exaustos, ele fica cansado. Pede aquela pausa.

Cansaço físico é MUITO diferente de preguiça. Não sou e nunca fui uma pessoa preguiçosa. Mesmo quando estava muito acima do meu peso. Malhava e tal.
Não tinha ÓBVIO a mesma disposição de hoje, mas não deixava de ir por preguiça.

Na terça dessa semana, corri 8km e fiz musculação. Não corri mais porque estava cansada. Tava sentindo o músculo fadigado. Achei melhor parar, até com medo de lesionar ou gastar massa magra. Eu soube identificar que ali não era mimimi ou preguiça, era simplesmente cansaço físico.

Como eu sei que não era preguiça? Porque eu sai de casa, corri um pedaço, mas o músculo tava pegando, a perna tava pesada. Eu insisti, forcei e continuei sentindo. Aí decidi parar. Esgostei minhas possibilidades. Não parei na primeira oportunidade. Essa é a diferença principal entre cansaço e preguiça.

O preguiçoso vai arrumar várias desculpas para não sair de casa. Ou para parar sempre que puder. O preguiçoso vai reclamar de tudo.
A pessoa cansada sai de casa, vence sua própria preguiça, tenta se superar, mas entende que têm dias que não são nossos. Têm dias que não temos o controle.

Acontece.

Têm dias que teremos que perceber mais o nosso corpo e respeitá-lo. Ele é um templo. Lembre-se sempre disso!
Se acostume com o fato de que não são todos os treinos que você poderá chegar ao seu limite.

Não seja inconsequente! Respeite seus limites, mas nunca se acomode. Faz sentido?

Author Description

Posts recentes

Sem respostas para “não é preguiça”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos exigidos estão marcados com *


*