love mojitos entrevista…

topo_queridinhos

Elizabeth Koosed, autora do livro sensacional “Manual da Mulher Solteira: um guia para amar e curtir – sozinha ou acompanhada”. Ela é também Life Coach, formada pelo Universidade de Nova Iorque.

 

  1. Quando você decidiu escrever o livro? Foi por conta de algo específico, tipo um relacionamento serviu como ponto de partida?
    Eu fui influenciada a escrever o livro por um grande amigo meu, que me ajudou. Quando eu sentei para escrever, todos os conselhos do livro simplesmente foram saindo naturalmente. O processo para escrever o livro foi longo, mas fácil porque naquele momento eu estava solteira fazia 6 anos.Neste período, eu tinha saído com todos os tipos de pessoa e tinha tido muitas experiências diferentes, que achei que poderiam beneficiar algumas mulheres. Todas essas experiências me fortaleceram e me deixaram mais confiante. E no final, tudo aconteceu da melhor forma possível, porque conheci o meu atual namorado.Quando eu comecei a escrever o livro, eu e ele tínhamos acabado de começar a sair. Ou seja, escrever o livro me ajudou a de certa forma “enterrar” minha vida de solteira. Pelo menos, por agora. Foi uma transição muito grande para mim. Ter um namoro sério depois de tantos anos solteira. Acho que esse livro me ajudou a perceber a minha evolução e como elas me prepararam para o sucesso do meu atual relacionamento.
  1. Quais as coisas que você mais gosta sobre ser solteira e sobre estar em um relacionamento?

Top coisas que eu gosto sobre ser solteira:

– Viver minha vida do meu jeito sem ter que ceder
– Dormir espalhada pela cama toda
– Sair em encontros e conhecer vários tipos de pessoas diferentes
– Poder dizer sim para as oportunidades sem ter que considerar um namorado na equação
– Viajar sozinha, tendo que resolver tudo por conta própria e depois sentir orgulho por ter feito isso.

Top coisas que eu gosto sobre um relacionamento:
– Sexo consistente, carícias e afeto de forma geral
– Ter alguém que possa conversar comigo quando estou no mode crise
– Ter a oportunidade de conhecer alguém da forma mais íntima possível
– Cuidar de alguém o tempo todo, mesmo com as menores coisas. Isso faz toda diferença
– Ter alguém para compartilhar meus sonhos.

  1. Você acha que hoje as pessoas estão menos interessadas em relacionamentos?

Sim. Eu acho que mais mulheres hoje encaram relacionamentos como obstáculos e não como vantagem. Mulheres mais novas aprenderam com as experiências de suas mães e avós que estar num relacionamento significa colocar as vontades e os desejos do home na frente das suas próprias. Acho que as mulheres hoje estão menos interessadas em definirem suas vidas nos termos de um relacionamento, porque elas têm oportunidades as vezes mais atraentes de carreira ou até acadêmicas.

As mulheres hoje foram criadas em uma geração em que os pais falavam que elas podiam ser o que quisessem quando crescessem, mas aí percebemos que ainda não é bem assim. Fazemos o mesmo trabalho, ou até um trabalho superior ao do homem, mas ainda assim ganhamos menos. Isso é simbólico, mas mostra que as mulheres ainda são menos valorizadas que os homens na nossa sociedade.

Isso, muitas vezes, faz com que mulheres mais novas se sintam desinteressadas. Muitas podem enxergar o namorado como uma distração e às vezes sinal de fraqueza. Acredito que as mulheres podem também se abster de um relacionamento como um ato de rebeldia contra a nossa cultura tradicionalmente opressiva, em que seus talentos não se destacam.

Observamos isso no mundo todo. As pessoas estão se casando mais tarde ao longo da vida. Mulheres estão optando pela carreira ao invés de construir uma família. E as crianças são encaradas como um “plus” e não mais uma necessidade.

  1. Se você tivesse que dar um único conselho para mulheres solteiras hoje, qual seria?

Meu conselho principal é: acredite em você. Quanto mais você acredita em você, independente dos outros, mais as pessoas vão acreditar. O ato de acreditar em você é o principal passo para o amor próprio. Isso aumenta a sua confiança. Não há nada mais atraente do que uma mulher confiante.

  1. Pra você, o que seria um dealbreaker em um relacionamento?

Pessoalmente, acho que um dealbreaker é quando o cara não consegue ser “fiel” as suas palavras. Se eu acho que um homem não é confiável por qualquer motivo, ou sei lá, ele não aparece para o nosso compromisso (famoso balão), eu não quero mais nada com ele. Pra sempre. Não tô interessada em desculpas. Com certeza, as ações falam por si.

Author Description

Sem respostas para “love mojitos entrevista…”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos exigidos estão marcados com *


*