intolerância alimentar

oi, gente. desculpem o sumiço na última semana, estava numa espécie de mini férias e isso comprometeu o conteúdo. tô de volta!! <3

Hoje vou falar sobre o exame de intolerância alimentar que eu fiz esse ano. Ao longo da minha vida, sempre tive reações ruins com diversas comidas. Sentia simplesmente como se eu não conseguisse digerir certos alimentos, que ficavam me revisitando ao longo do dia – ok, nojento falar isso. Desculpa! =S

Cansada de não saber exatamente o que me fazia mal, resolvi durante meu processo de emagrecimento, fazer o tal exame de intolerância alimentar com objetivo de melhorar a minha alimentação e consequentemente minha digestão.

É um exame de sangue normal, feito em laboratório, e é necessário ficar 12 horas em jejum. Você precisa levar o pedido de um médico. Não é um exame barato e normalmente o plano de saúde não cobre. Aqui em Brasília foi ainda mais caro porque só tem um laboratório que faz.

O exame que eu fiz é o teste de Intolerância Alimentar Mediada por IgG que investiga reações e identifica processos inflamatórios a 221 alimentos diferentes. Tem nível de intolerância alta, média e baixa.

Conforme explicação do próprio site do laboratório: “A intolerância alimentar (mediada por IgG) se difere da alergia clássica (mediada por IgE) em diversos aspectos, um deles é o aparecimento tardio dos sintomas. Por isso, a intolerância alimentar dificilmente é reconhecida sem a realização de testes laboratoriais.

A alergia alimentar é uma reação imunológica, que ocorre após a ingestão ou contato com um determinado alimento. As manifestações clínicas são geralmente imediatas. Já a intolerância alimentar, o organismo não consegue digerir completamente algum grupo de alimentos, provavelmente devido a uma deficiência enzimática do sistema digestivo, ou outro mecanismo desconhecido. Como consequência, são produzidas substâncias que o organismo reconhece como estranhas causando uma reação de sensibilidade alimentar.”

Entre os sintomas digestivos estão inflamação do cólon, diarreia, acidez, náuseas, cólicas. Há sintomas neurológicos como enxaquecas, dores de cabeça, além de retenção de líquido e aumento de peso.

Os alimentos que mais me chamaram atenção no meu resultado foram: intolerância a lactose (MUITO comum, a maioria das pessoas têm), algumas farinhas que contém glutén (farinha branca, integral, de aveia), pistache, arroz, todos os ingredientes da cerveja, feijão branco, e muitas outras coisas.

Esse exame me ajudou a montar a minha dieta. Eu evito ao máximo essas coisas durante a semana – principalmente coisas com lactose e glutén – e se quiser fim de semana, eu como. Não sou adepta de radicalismos e sim comprometida com o equilíbrio!

Eu não fiz o exame para ficar escrava dos resultados, fiz porque queria entender melhor o meu corpo. Eu sempre tive os sintomas descritos acima e é um saco viver assim! O que acontecia é que antes comia indiscriminadamente e sempre passava mal. Eu sobrecarregava o meu organismo e meu intestino ficava todo inflamado. Hoje em dia quando como, isso não acontece com tanta frequência.

Eu não fiz com o objetivo de perder peso, mas isso é uma consequência. A partir do momento que você não come certas coisas que causam inflamação, sua digestão melhora, sua flora intestinal regulariza e isso cria um equilíbrio.

****

Aproveitando essa vibe de alimentos mais saudáveis, conheci ontem em Brasília um restaurante de gastronomia funcional. Chama-se DuoO restaurante, fica na comercial da 103 Sul.

Para quem é daqui ou está de passagem, fica minha dica de um lugar legal para comer!

O cardápio é super variado e os pratos não têm glutén, lactose, gordura. É um esquema bem legal e a comida é DELICIOSA. Além do lugar ser uma graça. <3

imageimage_1

Esse foi meu prato. Tilápia com molho de cogumelos, batata baroa e legumes com brotos salteados na manteiga ghee. Yummy!!!!!

 

Author Description

Sem respostas para “intolerância alimentar”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos exigidos estão marcados com *


*