Exigências furadas

Eu não sei vocês, mas eu fiquei indignada com a notícia esses dias de que foi lançado no mercado um sérum, iluminador e esfoliante para as nossas vaginas. Uma linha toda dedicada para ela! Chama-se The Perfect V.

Sim, porque agora aparentemente vaginas serão obrigadas a se apresentarem maquiadas e bem cuidadas. Vejam vocês mesmos: http://theperfectv.com

Começar pelo nome: PERFECT.
Olha, eu não sei como pensar que a indústria vai finalmente entender. Os anos passam e parece que a gente só retrocede. Parem de cobrar perfeição, parem de vender perfeição, parem de usar perfeição quando se fala sobre o corpo.

Não existe perfeição. Existe corpo humano com seus mais lindos detalhes. Um diferente do outro.

Somos cobradas desde que nascemos a sermos princesas: limpinhas, educadinhas, o tipo PERFEITO. A perfeição deve acompanhar a menina desde que ela nasce! Aí chega a adolescência, tem que fazer a unha, tem que se depilar, tem que passar creme, tem que ser magra.

Temos que ser felizes. Isso sim.
Eu não trocaria ser mulher por nada nesse mundo. Eu acho que nós temos uma força que é só nossa e ninguém nunca vai poder nos tirar isso. Mas essa mesma força é podada diariamente seja em forma de tratamento estético ou nas exigências impossíveis para caber em um padrão de beleza aceitável pelos outros.

A gente não consegue aceitar nosso próprio corpo em seus mínimos detalhes porque primeiro não somos ensinadas sobre ele de forma natural. Não se pode falar de menstruação, de peito, de prazer. Pode perguntar: quantas meninas olham para sua vagina, a conhecem, se tocam?

Sim, isso ainda é tabu.
Ainda assim, agora essas mesmas vaginas que são menosprezadas ganharam produto de beleza. Porque mesmo sem conhecê-la bem, sei que ela não presta.

Dados recentes apontam que o Brasil é recordista mundial em cirurgias íntimas. Só em 2015, 12.870 mulheres fizeram cirurgias de labioplastia ou ninfoplastia. Esses procedimentos são de redução dos pequenos lábios da vagina. De acordo com médicos da área, as mulheres procuram essas cirurgias porque se sentem incomodadas com o excesso de pele. Há mulheres ainda que se incomodam com a aparência dos grandes lábios e fazem um enxerto para esticar a pele ou retirar o excesso de pele da região.

Já homens, no mesmo período, foram 440 cirurgias – especialmente de alongamento de pênis.
Acho que essa diferença diz muita coisa sobre a sociedade em que vivemos, não?

O documentário Embrace, que já falei aqui, revela que 91% das mulheres odeiam o próprio corpo. Diante de padrões idealizados de beleza toda mulher sente-se gorda e feia. Esse ódio é explorado pela indústria cosmética, da moda, das dietas, das cirurgias estéticas, das revistas femininas.

Assim como nosso rosto. Mulher vaidosa é aquela que se cuida. Se cuidar não é comer saudável por prazer ou fazer exercício para ficar feliz. Se cuidar é fazer mil tratamentos estéticos, é passar fome, vomitar ou tomar remédio para emagrecer. Se cuidar é obrigatoriamente passar maquiagem todos os dias, ter que acordar impecável. Quem gosta da real beleza? Só as propagandas da Dove, pelo visto.

Ainda se fala pouco – MUITO pouco – sobre o que realmente é bonito.
Essa semana, no Facebook, esse texto aqui bombou. Vale a pena!

A cultura de aversão ao corpo e vergonha corporal atingiu proporções épicas em todo o mundo. Perder peso, reduzir rugas, combater a celulite, perder peso imediatamente depois da gravidez. Somos constantemente guiadas na luta para ser alguém diferente do que somos. Mulheres e meninas são levadas diariamente a acreditar que não são tão boas quanto elas são de fato! E por quê? Porque todos os dias elas sentem que estão sendo julgadas pela sua aparência tão distante da beleza imposta por mídias.

Body Image Movement trabalha para mudar isso:

Nosso trabalho é aproveitar e facilitar o ativismo positivo da imagem corporal, incentivando as mulheres a se aceitarem mais do que são, a usar linguagem positiva em relação a seus e outros corpos, e priorizar a saúde antes da beleza. Nosso objetivo é alcançar tantas mulheres quanto possível em todo o mundo e falar com elas sobre como podemos aprender a abraçar e amar completamente nossos corpos.

Passou da hora de pensarmos por que fazemos certas coisas! Faça o que VOCE acha que te deixa mais bonita.

Esse é um assunto que nunca se esgota. Falo pouco dele porque nunca acho que consigo expor tudo que quero, mas vale o debate.

 

 

Author Description

Sem respostas para “Exigências furadas”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos exigidos estão marcados com *


*