Corpo pós gravidez e as cobranças

Perdi as contas durante a gravidez as vezes que me perguntaram quantos kgs havia engordado. Tinham pessoas que emendavam a pergunta com um “mas você tá ótima” e tinham pessoas que comentavam o inchaço do meu rosto ou o aumento do meu quadril. Por curiosidade ou quaisquer outras razões, pessoas com muita intimidade comigo, amigos, ou até desconhecidos me interpelaram sobre isso.

Acredito que vivemos em uma sociedade em que é tido como natural questionar o outro sobre o corpo. Falar de peso, dieta, alimentação. Ninguém acha que está ofendendo ou que está passando dos limites.

Eu sempre respondi numa boa, apesar daquilo me afetar. Difícil colocar em palavras porque esse assunto me afetava tanto, afinal tento pregar o autoamor acima de tudo. Mas ganhar peso, por mais que seja por um bebê, não é fácil.

Foram mais de 15kgs. Depois de 10kgs ganhos, confesso que parei de encanar tanto. Meu nutricionista tinha dito no início da gravidez que até 14kgs ganhos para minha estrutura óssea era normal. No início controlei bastante isso. Me preocupei muito com as mudanças que meu corpo viveria. Chorei algumas vezes por estar sem treinar direito ou por não entrar nas roupas antigas.

Pode parecer besteira perto da imensidão que é gerar um ser, mas sim somos mulheres antes de tudo. E por quaisquer que seja o motivo os padrões estéticos ainda nos assombram.

Estou há 15 dias em casa, pós cesárea e com bebé recém nascido. Sem grandes intervenções alimentares (mesmo), perdi mais de 12kgs. Sei que parte disso é do bebê, da placenta, do fluxo sanguíneo, liquido amniótico e por aí vai. Ainda falta muito pra voltar ao que eu era/quero. E por isso é tão difícil me olhar sempre no espelho e ir aceitando aos poucos o que estou vendo.

Aí passou a gravidez e estou desinchando. Num processo discreto. Sem pressa. É o que tento colocar na minha cabeça todos os dias. Tem nem um mês que a Sofia nasceu e não quero me preocupar com peso agora. Mas acaba que me preocupo. Me vejo querendo logo meu corpo antigo de volta, sendo que meus pontos da cesárea ainda nem caíram.

É difícil ser natural com esse processo né? Queria estar fazendo uma alimentação 100% natural e saudável, mas às vezes fico com vontade de comer doce, etc e não quero me sentir mal por isso.

Luto quase que diariamente, enquanto olho para minha barriga molenga pós parto ou abro meu aplicativo de corrida que desde maio não teve atualização, para me cobrar menos em relação ao meu corpo. Buscar gastar menos energia brigando com meu corpo. Essa é minha meta de vida.

Aprender a ser leve!

Falei algumas vezes disso no lovemojitos.com durante a gravidez. Repensei muito a relação que tinha e tenho com meu corpo. Me questionei muitas vezes sobre ser saudável e ser magra. Sobre porque me cobrar tanto.

No final do dia que diferença 2kgs a menos ou mais fazem? Estamos sempre em busca de uma perfeição torta, que muda a cada vez que chegamos no tal objetivo. Não é só sobre ter a barriga perfeita, a bunda dos sonhos, a coxa sem celulite. É, principalmente, sobre saber que nada disso nos fará felizes se não nos aceitarmos pelo que somos.

Já pesei 52kgs correndo 50km por semana e ainda assim não estava feliz. Não estava feliz e nem saudável porque comia pouco para quantidade que treinava e me cobrava muito pós saídas da “dieta”. A verdade é que viver de dieta não dá! Mesmo. Não é sobre restringir a alimentação e sim sobre ser saudável e feliz ao mesmo tempo. E saber que nem sempre serei 100% saudável e tudo bem.

Não somos só um corpo. Somos muito além. Somos o que os nossos corpos são capazes. Somos a perfeição da natureza que é capaz de gerar uma vida e mudar o corpo todo para se adaptar ao novo ser, somos um corpo capaz de correr longas distâncias, de treinar cada vez melhor, de buscar quebrar recordes.

Vivemos os padrões de beleza, vivemos os projetos de carnaval, vivemos nos comparando com pessoas no Instagram. Talvez porque fomos ensinadas assim a vida inteira.

Só precisamos nos lembrar de ter compaixão por nossos corpos.
Nos olhar com carinho, com respeito, com cuidado. Todos os dias.

 

 

Author Description

Posts recentes

2 Respostas to “Corpo pós gravidez e as cobranças”

  1. 30 de janeiro de 2018

    Rafaella Machado Responder

    Cara, acompanhei aqui todos os seus relatos sobre autoimagem na gravidez, e apesar de não ser mãe, me identifiquei muito. Estou tentando me aceitar e parar de me cobrar tanto, e quando fazemos isso, paramos de nos comparar e passamos a ohar para o outro com mais carinho e tolerância. A beleza tem um milhão de caras, um milhão de corpos, e nem todos são magros e perfeitos. Acho foda vc estar desconstruindo isso agora, até pq a Sofia um dia aprenderá contigo a se amar. Eu sei o quanto a gente só vê o que tá na nossa cabeça, mas cara, vc é linda, vc ficou linda a gravidez toda e eu não reparei nenhuma mudança no seu corpo fora a barriga diva. O corpo de todo mundo é “imperfeito”, mas essas imperfeições contam uma história. Então, se a barriga mudou pós-Sofia, que isso te lembre de quão lindo é a vida e de onde ela veio. Estou muito feliz por vcs e por essa pessoinha. <3

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos exigidos estão marcados com *


*