chile: parte 1

Vocês devem ter notado que fiquei fora uns dias. Quem me acompanha no instagram (@paulafilizola) viu que eu estava de férias no Chile.
Vou contar nesse post de hoje tudinho sobre essa experiência, que foi uma das mais incríveis da minha vida.

Vou separar a viagem em dois posts: primeiro Deserto do Atacama e depois Santiago, ok?

A viagem começou no Rio e de lá, eu e minha irmã pegamos um voo para Santiago. Fomos de Gol. São 4 horas de viagem mais ou menos. O voo tem comida, cobertor, travesseiro.
Tiramos as passagens por milhas, então não sei ao certo quanto foi.

Chegando no Chile, pegamos outro voo direto para Calama, cidade mais próxima a São Pedro do Atacama. No aeroporto de Calama mesmo, pegamos um transfer da empresa Licanbur para a cidade mais próxima do deserto. São quase 2 horas de carro, numa estrada SUPER tranquila. Da janela mesmo, você já começa a se apaixonar pelo Chile. É tudo lindo.

Em São Pedro do Atacama, os preços não são dos mais baratos porque é uma cidade turística. Então, ficamos num albergue chamado Hostal Cruz do Atacama. Apesar de um dono muito simpático, o hostel era perrengue. Ficamos num quarto privado, mas o cara não aceitava cartão, estava sem telefone e dormíamos sozinhas no hostel. Mas era bem localizado e não tivemos grandes problemas.

Já no primeiro dia, descobrimos o que viria a ser o nosso restaurante preferido lá. Ficava na praça central e chama-se Hostal Plaza. Funcionários MUITO educados, wifi bom, comida deliciosa e bom custo benefício. Dos 4 dias que ficamos na cidade, comemos 3 vezes lá.

image3 image2 image1

Uma das coisas que mais gostei no Chile é que todos os restaurantes servem entradinha de pão e salsa, sem cobrar <3 E as porções chilenas são muito bem servidas. Dá para dividir quase todos os pratos.

O bom da cidade é que é tudo “walking distance” e dá para conhecer bem as ruas. Tem gente que aluga bicicleta, mas não precisa. Andávamos o dia todo.
Os passeios – que são MUITOS – podem ser comprados lá na cidade mesmo. Tem várias empresas com diferentes pacotes e preços. Vale a pena definir lá.

Praça principal com wi fi
Praça principal com wi fi

Nós fechamos todos os passeios com a empresa Grado 10. Eles são tops demais. Um dos guias, inclusive, falava português.
Eles recomendam que você faça os passeios primeiro com baixa altitude e vá subindo para não sentir muito a diferença.

Então, nosso roteiro foi assim:

1 dia – chegada na cidade + almoço + definição dos passeios. 
O primeiro passeio foi o Vale de la Luna nesse mesmo dia. É o mais cansativo na minha opinião. Sobe e desce na areia e pedras. Mas é lindíssimo.

image5

Eu amei a paisagem do Chile. Tem muitas rochas por conta das formações antigas, muitos vulcões (a maioria inativo). Nesse passeio dá para observar altos cristais de sal. É lindo! O país, no entanto, tem muitos tremores e terremotos. Assim que voltamos, teve um na costa lá. 

image6
Me senti no Grand Cayon
Um dos grandes baratos dos passeios é assistir ao pôr do sol, que acontece no Chile mais tarde. Lá pelas 20h30
Um dos grandes baratos dos passeios é assistir ao pôr do sol, que acontece no Chile mais tarde. Lá pelas 20h30

2 dia – tiramos o dia para descansar, conhecer a cidadezinha, tirar dinheiro, essas coisas. Resolver pendências. Eu não tinha desbloqueado meu cartão de débito e não levamos dinheiro suficiente, então isso foi meio perrengue.

image2

As ruas são fofas demais, mas é tudo meio de areia. O meu tênis da viagem foi pro saco! Leve roupas práticas.
Nessa época do ano lá é quente, mas é tipo clima de deserto. MUITO quente durante o dia e frio de madrugada e a noite. Eu me preparei pouco em relação a isso. Levei pouca roupa.

tudo lá leva batata
tudo lá leva batata
olha como tudo é fofo
olha como tudo é fofo
indicação de pizzaria boa: La Charrua
indicação de pizzaria boa: La Charrua

 dia 3 – Lagunas Miscanti e Miñiques + Reserva Nacional Los Flamencos + Povoado Toconão (de manhã)/ E uma laguna (que não e Cegar) na parte da tarde

Esse foi meu dia PREFERIDO! Acordamos às 5h e fomos para as Lagunas Altiplânicas. Tomamos café lá e o local era MUITO lindo.
Tem uma atmosfera mágica, sabe?

img_4915

img_4885

Reserva dos flamencos
Reserva dos flamencos
Em Toconão, alimentamos uma llama
Em Toconão, alimentamos uma llama

img_4985

Passeio na parte da tarde. Todas as lagoas eram de sal. Coisa mais linda!

Só pode ser Deus, né?
Só pode ser Deus, né?

 

Uma coisa que valia muito a pena e comemos bastante por lá, foram as empanadas.

img_5023

dia 4 – Visitamos El Tatio Geyser. A altitude lá é de mais de 4 mil metros. Entre as 6h e 8h, a temperatura pode chegar até – 30 graus. Então, é preciso estar muito bem agasalhada.

image8

 

image3

Quem tem coragem, pode entrar nas piscinas termais. São super quentinhas.

Como o café da manhã é servido nos passeios da Grado 10
Como o café da manhã é servido nos passeios da Grado 10
doce de leite chileno
doce de leite chileno

image7

Nesse dia, comemos carne de llama. Eu curti.
Viram que já tinha tirado quase toda a roupa, né? É tipo esquema cebola. Você vai tirando as camadas ao longo do dia.

image6

O Deserto do Atacama é lindíssimo. Vale CADA peso chileno gasto. Voltei super apaixonada e bem impressionada!
Tem MUITOS passeios para fazer por lá, tipo Laguna Cegar, Termas Puritama, Salar de Tara, etc, mas fizemos os principais. Tenho mais motivos para voltar agora!

Acho que quatro dia é o suficiente, porque os passeios são cansativos, apesar de maravilhosos.
Lembrando que cada passeio – além do pacote que fechamos com a empresa – tem um custo de entrada, porque todos ficam em parques, reservas, etc.

Gostaram do post? Foi útil? Deu vontade de conhecer o Chile?

 

Author Description

Posts recentes

Sem respostas para “chile: parte 1”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos exigidos estão marcados com *


*