cada um no seu tempo: não existe melhor ou pior

Acho que o ser humano de forma geral vive um pouco na base da comparação. Natural se comparar com os outros um pouquinho, é humano. A pessoa tá ali do seu lado, fazendo às vezes a mesma coisa que você. Você se compara.

Eu sempre tive isso com a corrida. “ah, fulano treina há menos tempo que eu e tá correndo mais”. Aí fui aprendendo com o tempo que se comparar com o outro não tá com nada. Nem na dieta, nem no corpo, nem no organismo. Nada. Isso traz um nível de exigência muitas vezes que não é saudável e não é real.

Quando eu quero me comparar a alguém, me comparo com a Paula do ano passado (logo menos é hora de fazer fechamento para balanço por conta do aniversário chegando), com a Paula da semana passada ou até a Paula de ontem. Onde eu podia ter agido melhor? Podia ter me exigido menos? Onde errei? E onde, principalmente, acertei? Comparar as coisas boas é bacana também. Porque a verdade é que sempre encaramos a grama do vizinho como mais verde, mas e a nossa? De um dia pro outro podemos ser melhores e termos gramas mais verdes.

Bom, tudo isso para introduzir o assunto de hoje. A comparação na gravidez.
A gente começa a gerar uma vida e automaticamente começa a nos comparar com as barrigas de grávida das outras, com o crescimento do bebê da amiga, com o bebê da amiga que mexe mais do que o nosso e mexeu antes, com o ganho de peso da outra, com perfis no instagram, com histórias na internet.

Vamos parar e estabelecer algumas coisas básicas:

  1. cada corpo e organismo são únicos. Sendo assim, a sua gravidez vai acontecer no seu tempo. Fazendo todos os exames, acompanhando com seu médico, doula, o que você quiser, a gravidez ocorrerá dentro dos padrões normais.
  2. O seu bebê tem o tempo e o tamanho dele. Não compare ele com outros bebês.
  3. A sua barriga é sua e tem o tempo dela.
  4. Assim como a sua fome e seu ganho de peso.

Demorei alguns meses na gravidez para entender isso. Entender que minha barriga não precisava ser redonda e dura igual a foto de sei lá quem que vi, meu umbigo não precisava sair ou mil outras aflições e inseguranças que temos e teimamos em nos comparar. Viva o SEU MOMENTO!

Sei que é difícil. Acreditem: me comparei muito com outras mulheres, olhava as semanas que elas estavam e como a barriga dela já estava, etc.
Mas a minha barriga tá pequena ainda para quase 7 meses. Beleza. Essa é a minha barriga. A minha história. O meu momento.

Acho que se comparar tanto traz uma ansiedade ainda maior para mulher que já vive naquele momento um turbilhão de emoções.
Quando se engravida ou até antes, somos bombardeados por pessoas querendo contar o lado delas. A forma como aconteceu para elas sempre que você está numa situação relativamente parecida. O que as pessoas esquecem é que cada pessoa é única.

Histórias e experiências compartilhadas são ótimas, se você tem maturidade para separar que com você pode ser diferente.

Pensando sobre isso, refleti sobre a expectativa que muitas mães já colocam nos seus filhos antes mesmo deles nascerem. Meu deus!
O bebê tem que ser isso, aquilo. Desse ou daquele tamanho. Tem que mexer logo, tem que nascer perfeito. Enfim, acho que isso faz parte do processo de amadurecimento que os 9 meses da gravidez trazem.

Começamos de um jeito. Cheia de expectativas com o novo e vamos nos moldando conforme a gravidez vai avançando.

 

 

 

 

 

 

 

Author Description

Sem respostas para “cada um no seu tempo: não existe melhor ou pior”

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado Campos exigidos estão marcados com *


*